Notícias de Mercado

23/09/19

Otimismo sobe, mas expectativa é de piora

A Pesquisa de Confiança dos Supermercados do Estado de São Paulo (PCS), feita pela Associação Paulista de Supermercados (Apas), mostrou em setembro aumento do otimismo dos empresários do setor em relação ao cenário atual, mas disparada do pessimismo em relação ao futuro.

 

Em agosto, 30% dos empresários se diziam otimistas quanto à percepção atual do setor, enquanto 23% estavam pessimistas. Ao mesmo tempo, 47% se disseram neutros. Na medição de setembro o porcentual de empresários otimistas com o cenário atual subiu para 36%, os pessimistas caíram para 21% e os neutros passaram para 43%.

 

Já em relação ao futuro, o otimismo de 40% dos empresários se manteve estável entre agosto e setembro, mas o pessimismo saltou de 9% para 24%. O porcentual de empresários que se manteve neutro caiu de 51% para 36%.

 

Dentre as sete variáveis apuradas, a PCS mediu redução do grau de satisfação com o governo estadual tanto na percepção atual quanto na expectativa futura. Os empresários otimistas com a situação atual caíram de 43% para 30%, enquanto os otimistas com o futuro passaram de 79% para 50%.

 

No grau de satisfação com o governo federal, o percentual de empresários otimistas foi de 57% para 60% na percepção atual. Na expectativa futura, porém, o índice caiu de 71% para 70%.

 

Estoques

 

O Índice de Estoques (IE) do comércio paulistano, elaborado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), subiu 5,2% em setembro (120,4 pontos) ante agosto (114,5 pontos), após três quedas consecutivas. Na comparação com igual mês do ano passado, o IE registrou alta de 15,5%.

 

A proporção dos que consideram os estoques adequados subiu 3 pontos percentuais, atingindo 60%, ou seja, mesmo patamar pré-crise, antes de 2014. "Essa melhora no índice é muito positiva e deve se estender ao longo do segundo semestre de 2019, com novo ciclo de retomada de vendas, principalmente com as próximas datas comemorativas que estão por vir, a exemplo de Black Friday e Natal", diz a FecomercioSP.

 

Dessa forma, houve queda de 1,9 ponto percentual no levantamento de comerciantes com excesso de estoques em setembro, de 28,1% em agosto para 26,3% hoje. O percentual que considera os estoques baixos caui 1,1 ponto, em 13,5%. Entre as pequenas empresas, 26,6% dizem estar com estoques altos Já nas grandes, a proporção é de apenas 9,8%. Em relação aos estoques baixos, a parcela é 13,3% e 19,7%, respectivamente.

 

Fonte: DCI