Notícias de Mercado

31/10/19

Governo prevê ajuste fiscal menor para dimunir a dívida pública

Os valores baixos da taxa Selic —agora em 5% ao ano —fizeram a equipe econômica reduzir o tamanho do ajuste fiscal visto como necessário para colocar a dívida bruta brasileira em queda. Neste ano, o governo está autorizado a registrar um déficit de até R$ 139 bilhões. 

Reduzir a dívida pública é um dos principais objetivos da equipe econômica. A dívida bruta hoje equivale a 79,8% do PIB, nível considerado muito elevado para países emergentes.

 

Um relatório do Tesouro divulgado ontem estima que uma taxa de juros média de 5,59% ao ano faria com que o resultado das contas públicas necessário para levar à redução da dívida fosse um superávit de apenas 0,27% do PIB. Para uma Selic média de 6,59%, o resultado positivo seria de 0,81% do PIB. Os cálculos consideram um crescimento anual do PIB de 2,44%. Esse cenário permitiria a redução da dívida pública em dez pontos até 2028.

 

O próprio governo já chegou a projetar ser necessário um resultado primário positivo de 2% do PIB para fazer a dívida pública cair. Hoje, o déficit público gira em torno de 1,5% do PIB. 

O secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, disse ontem que estuda mudanças no Regime de Recuperação Fiscal (RRF) dos estados, mas que estas passam longe do esperado pelo Rio:

 

—Essa conversa está muito longe do que o Rio gostaria.

 

Fonte: O Globo