Notícias de Mercado

28/09/15

Microcity ajuda empresas no descarte de lixo eletrônico

Uma das grandes preocupações deste século, a sustentabilidade, ganhou um destaque grandioso na última década, especialmente no setor de tecnologia da informação (TI), afinal o que fazer com o lixo eletrônico é um dos maiores desafios trazidos pela modernidade, e pelos dispositivos de última geração que surgem todo dia.

 

Preocupada com o meio ambiente, a mineira Microcity, líder brasileira em outsourcing e serviços avançados para ativos e infraestruturas de TI, por meio de suas iniciativas de descarte consciente de lixo eletrônico, firmou parcerias importantes para levar aos seus clientes de todo o País a possibilidade de tratarem seus resíduos tecnológicos. Só no primeiro semestre de 2015, a Microcity já superou a marca de 4 toneladas de lixo eletrônico devidamente descartado.

 

As parcerias com empresas especializadas em manuseio e tratamento do lixo eletrônico, San Lien, de São Paulo, Emile, de Minas Gerais e E-lixo, do Rio de Janeiro, são um grande diferencial competitivo para a Microcity, que fornece ativos terceirizados. Segundo o diretor presidente da Microcity, Luis Carlos Nacif, muitas companhias que buscam trocar ou atualizar os parques tecnológicos não sabem o que fazer com o material que sobra (desktops, notebooks, servidores, impressoras, dispositivos móveis, mouses, fios e cabos, baterias, plástico, metais etc.), o que pode atrasar os projetos de renovação das organizações, já que existem leis e regulamentações a serem seguidas para descartar esses materiais.

 

 

"A Microcity oferece o tratamento do lixo eletrônico como um valor agregado dentro do nosso modelo de negócios. Fazemos o ponto de contato entre nossos clientes e as empresas parceiras, planejando e viabilizando o descarte", afirma o executivo.

 

Ao fornecer gerenciamento e monitoria de toda à área tecnológica do cliente, a Microcity viabiliza o descarte ecológico, com acordo de confidencialidade sobre os dados guardados dentro de cada máquina. "Nós pensamos em tudo para que o cliente não precise se preocupar com nada", aponta Nacif. Os parceiros para descarte do lixo eletrônico possuem o certificado ISO 14001 (criada para auxiliar empresas a identificar, priorizar e gerenciar seus riscos ambientais como parte de suas práticas usuais) e são reconhecidos pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama).

 

Outro modo de realizar o descarte é renovando o contrato de locação de ativos de TI. "Havendo a necessidade, nós cuidamos para que os equipamentos contratados com a Microcity recebam o tratamento necessário para não prejudicar o meio ambiente.  mais do que uma obrigação para nós, é um modo de enxergar a simbiose da ação humana com o resto do planeta", completa. Em 2014, o volume de lixo eletrônico descartado pelos parceiros da Microcity chegou a 3.884.90 quilos.

 

Verde - Outra iniciativa de sustentabilidade colocada em prática pela empresa, que começou em 2010, vem ganhando força. O programa Um Micro por Árvore, da Microcity, que visa plantar uma muda de árvore nativa a cada desktop ou notebook alocado pelos clientes na oferta PC as a Service, tem alcançado números surpreendentes. E, desde que foi iniciado, já contribuiu para o plantio de mais de 50 mil novas árvores.

 

"Não plantamos árvores apenas quando alocamos alguma máquina", explica Nacif. "Também fazemos um estudo de impacto ambiental sobre o volume de CO2 emitido nos processos da Microcity que envolve a logística dentro dos clientes e da própria empresa, sejam viagens de técnicos e executivos para visitar os clientes, no transporte para entrega e retirada (caminhões, carros, aviões) dos equipamentos, ou seja, tudo o que está relacionado à atividade humana na cadeia produtiva. Com esse levantamento em mãos realizamos o plantio de mudas suficientes para neutralizar o CO2 gerado nesse processo produtivo e lançado na atmosfera. A neutralização é feita através da troca de gás carbônico por oxigênio gerado pelas árvores", explica o executivo.

 

Com esse projeto, a companhia conquistou diversas certificações de TI Verde, como os selos "Empresa Neutralizadora de Carbono" e "Empresa Parceira da Natureza", pelo Instituto Brasileiro de Defesa da Natureza (IBDN), e em 2012 foi a grande campeã em "Sustentabilidade em TI", do 3º Prêmio Hugo Werneck, que prestigia empresas e pessoas que praticam efetivamente a sustentabilidade ambiental, atuando na defesa e preservação dos recursos naturais do planeta.

 

 

Veículo: Jornal Diário do Comércio - MG