Notícias de Mercado

12/09/17

Educação é a principal ferramenta contra perdas e desperdício de alimentos na cadeia de abasteciment

Participantes do painel de abertura do Workshop SuperHiper destacam papel dos supermercados como agentes de conscientização e combate a um problema que gera impactos sociais, econômicos e ambientais  

 

Por Giseli Cabrini

 

 

Palestrantes do Painel Combate ao Desperdício (da esquerda para a direita): Biasi (FAO), Ana Paula (GS1), Pianez (Carrefour) e Tejon (ESPM)

 

O Workshop SuperHiper "Perdas e Ganhos" deu início à programação da 51ª edição da Convenção ABRAS 2017, na manhã desta terça-feira,12 de setembro, no Bourbon Convention & Resort, em Atibaia (SP). Durante o evento foram apresentados dados globais sobre o impacto das perdas e do desperdício de alimentos para os supermercados, a cadeia de abastecimento e o mundo. Boas práticas e possíveis soluções para prevenir e combater o problema, que traz prejuízos sociais, econômicos e ambientais, também foram tratados.

 

"Esse é um assunto árduo, mas o que dói no coração e no bolso precisa ser tratado, pesquisado e trabalhado", disse o presidente da Abras, João Sanzovo Neto, ao iniciar os trabalhos do painel "Combate ao Desperdício".

 

Embora o workshop tenha abordado diversas facetas das perdas e do desperdício de alimentos, a conclusão é que o problema só será contornado a partir de ações que promovam a educação e o conhecimento sobre o tema dentro da sociedade e não apenas no âmbito dos agentes varejistas e seus parceiros.

 

"O desperdício é uma cultura tenebrosa originada da ignorância. Para mudar isso é preciso educação. Mas educar não é uma missão exclusiva da escola e da academia. Isso é papel de toda a sociedade civil organizada, incluindo o setor supermercadista", afirmou o moderador do painel e professor da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), José Luiz Tejon.

 

Segundo dados apresentados pelo oficial de programas da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Carlos Biasi, infelizmente, o Brasil é um dos dez países que mais descartam alimentos em todo o mundo. Ainda que 50% do desperdício aconteça nas etapas de manuseio e transporte, 10% concentram-se nos mercados e nas casas. Daí a importância do setor supermercadista em atuar como um disseminador de ações educativas voltadas, principalmente, ao consumidor.

 

A gerente de engajamento e projetos setoriais da GS1 Brasil, Ana Paula Maniero, falou sobre a importância que a adoção de padrões abertos e globais traz para a cadeia de abastecimento, no sentido de prevenir e combater perdas ao promover a identificação e a codificação dos produtos. Além disso, esses padrões permitem aprimorar a comunicação entre os agentes da cadeia de abastecimento, facilitando a solução dos gargalos existentes e funcionando como ferramenta de disseminação do conhecimento.

 

Por sua vez, o diretor de sustentabilidade e responsabilidade social do grupo Carrefour, Paulo Pianez, detalhou, sob o ponto de vista operacional, como funciona a plataforma de gestão integrada de combate ao desperdício que a rede adotou no Brasil há quatro anos. Um dos principais pilares dessa plataforma é o canal ‘Consumo Consciente', que tem o objetivo de incentivar e orientar os consumidores sobre como aproveitar, ao máximo, os alimentos, evitando o desperdício dentro de casa.