Notícias de Mercado

13/03/19

Conab corta mais uma vez estimativa para soja

A safra de soja 2018/19 do Brasil, em fase de colheita, deve totalizar 113,45 milhões de toneladas, projetou nesta terça-feira a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em mais um corte nas suas expectativas, após estimar 115,34 milhões de toneladas no início de fevereiro.

 

O tempo quente e seco entre dezembro e janeiro nas principais áreas produtoras do País, sobretudo no Paraná e em Mato Grosso do Sul, prejudicou o ciclo deste ano. Antes do impacto climático, a Conab chegou a estimar uma produção recorde de 120 milhões de toneladas de soja na temporada vigente.

 

Com o efeito do clima, a safra de soja do Brasil, que responde por quase metade da produção de grãos do País, deverá cair cerca de 5% na comparação com o recorde da temporada passada, segundo a Conab, que destacou que a produção da oleaginosa no ciclo atual ainda será a terceira maior da série histórica.

 

“Nesta safra, a estimativa é de redução na produtividade, ocasionada por adversidades climáticas severas em alguns Estados, como Mato Grosso do Sul, Goiás e Paraná, quando comparada à excelente produtividade da safra passada”, comentou a Conab.

 

Exportações

 

O órgão do governo informou ainda que os embarques de soja pelo Brasil, o maior exportador mundial da oleaginosa, devem alcançar 70 milhões de toneladas em 2018/19, ante 71,5 milhões de toneladas na previsão passada. Isso representaria uma queda de 13,6 milhões de toneladas frente ao recorde de 2017/18. A melhora climática em fevereiro, com mais chuvas em várias regiões, aliviou os problemas para a safra, destacou a consultoria AgRural nesta terça-feira (12).

 

A AgRural, embora aponte um número inferior ao da Conab, elevou sua projeção para a safra a 112,9 milhões de toneladas de soja, versus 112,5 milhões no mês anterior.

 

Milho

 

Quanto ao milho, a Conab aposta em uma produção total de 92,80 milhões de toneladas, ante 91,65 milhões no boletim de fevereiro.

 

Deste total, 66,59 milhões de toneladas devem ser do cereal de segunda safra, ante previsão anterior de 65,19 milhões e 23,6% acima na comparação com 2017/18.

 

“Esse resultado é reflexo da maior área”, afirmou o superintendente de Informações do Agronegócio da Conab, Cleverton Santana, em nota.

 

Fonte: DCI