Notícias de Mercado

23/12/16

Ceia em restaurantes atrai clientes no Natal


O hábito de reunir a família em restaurantes do Grande ABC na noite de Natal ganha, a cada ano, mais adeptos. Nem mesmo a crise econômica do País afastou os clientes do conforto e das delícias oferecidas pelos estabelecimentos. Exemplo disso é que essas festividades de fim de ano ampliam, em média, em 30% o movimento nesses locais, se comparado com os demais meses do ano, segundo projeção do presidente do Sehal (Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação do Grande ABC), Roberto Moreira.



“Não fosse pela crise financeira, haveria, sem sombras de dúvida, incremento de 50% na demanda frente ao restante do ano. Mesmo assim é um bom aumento. Comer em restaurante, por incrível que pareça, fica mais barato do que preparar diversos pratos em casa. É só olhar para os preços praticados no mercado. Nos restaurantes há a opção de cada um da família pagar o seu, a divisão acaba sendo mais justa e mais econômica”, enfatiza Moreira.



Na visão do sócio-proprietário do tradicional São Francisco, do Demarchi, em São Bernardo, Nelson Morassi, o fato de os dias 24 e 25 terem caído no fim de semana contribuiu para não deixar o movimento diminuir. “Quando o Natal é celebrado no meio da semana, e se pode emendar com o sábado e o domingo, geralmente as pessoas optam por viajar, e a região fica mais vazia. Já neste ano, muitos vão trabalhar na sexta e na segunda-feira seguinte, o que reforça o movimento.”



E mesmo a 24 horas da véspera natalina, ainda dá tempo de reservar vagas em alguns restaurantes da região. A exemplo disso, o São Francisco cobra R$ 150 por pessoa (mesmo valor que em 2012). No montante, estão inclusos jantar (com bufê à vontade), sobremesa e bebida (cerveja, suco, refrigerante e água) a noite toda. A criançada poderá acompanhar a chegada do Papai Noel e os adultos contam com banda ao vivo durante a comemoração. No dia 25, o almoço custa R$ 80 por pessoa. Caso o cliente não queira a bebida, sobremesa e arque com o valor de serviço, pagará R$ 50 pelo bufê de comida. Crianças de 5 a 10 anos pagam meia.



No restaurante de São Caetano 7 Mares, do Jardim São Caetano, os convites para a noite de Natal já se esgotaram. No entanto, estará aberto amanhã na hora do almoço e no domingo. Quem deseja almoçar com a família precisa se atentar ao horário, já que não há reservas, e o atendimento é por ordem de chegada. O carro-chefe do local é o prato espanhol paella (à base de arroz, com pescados e frutos do mar). “Aqueles que não quiserem almoçar no restaurante podem vir comprar o prato que escolherem para levar para casa, para compor a ceia à noite. Teremos à pronta entrega”, contou o chef Simon Calcin. O prato para duas pessoas custa R$ 108. Quem quiser apreciar o bufê de comidas no próprio estabelecimento, pagará R$ 64,90 por pessoa, com bebida e sobremesa à parte.



Em Santo André, a Churrascaria Rosa’s, no Silveiras, estará aberta amanhã no almoço e no dia 25. Não é preciso fazer reservas, mas aqueles que estiverem em grupos com mais pessoas devem chegar por volta do meio-dia. “O fato de o Natal cair num domingo é bom, isso faz dobrar nosso movimento. Teremos também pratos à pronta entrega, aos que preferem comer em casa”, citou o proprietário, Mauro Rosa Junior. Os carros-chefes são o filé-mignon à parmegiana e a salada de escarola com vinho e torresmo, custando R$ 107,90 e R$ 32,40, respectivamente. Os pratos servem até quatro pessoas. Há também a versão família, com parmegiana, arroz e fritas, por R$ 144,40.

 




Pratos prontos para comer em casa são opção
Aqueles que não abrem mão de fazer as festas em casa, mas que não terão tempo de ir para o fogão preparar os quitutes natalinos, têm como saída os pratos prontos oferecidos por estabelecimentos da região. Mesmo a poucas horas da ceia, muitos fazem entrega sem encomenda prévia. A Massas e Salgados Casagrande, da Vila Guiomar, em Santo André, tem massas, saladas, maioneses e salpicão à pronta entrega. “Também conseguimos entregar o pernil se as encomendas forem feitas até hoje”, disse o proprietário, Otávio Casagrande.



As massas, como nhoque, são frescas, e o quilo custa, em média, R$ 22. Os molhos saem a R$ 10, podendo ser rosé, branco, ao sugo ou bolonhesa. A quantidade serve até quatro pessoas. O pernil, que varia entre 1,5 quilo e 1,7 quilo, sai por R$ 85. É possível decorá-lo com frutas e farofa, mas o custo sobe a R$ 100. A carne serve seis pessoas, em média.



A padaria Vitória Régia (com unidades no Baeta, em São Bernardo, e na Vila Pires, em Santo André) também focou no público que não teve tempo até o momento de encomendar os pratos. “Dá para fazer o pedido até sábado (amanhã) de manhã. Estamos preparados para esse tipo de atendimento”, avisou a nutricionista do local, Simone Fontanezi.

 

Há muitos pratos disponíveis para que as ceias fiquem completas. O quilo do tradicional arroz ao champanhe e amêndoas sai a R$ 49,90. Outro prato com saída é a lasanha à bolonhesa, vendida a R$ 49,90 o quilo. Dentre as carnes, opções são o lombo ao molho de abacaxi (R$ 49,90 o quilo), medalhão de filé-mignon ao molho madeira (R$ 99 o quilo) e salmão grelhado com alcaparras e champignon (R$ 111 o quilo). Nas redes supermercadistas não dá mais tempo de encomendar ceias inteiras para o Natal, mas há sobremesas prontas e pratos nas seções de rotisserie. 

 



Tauana Marin



Fonte: Diário do Grande ABC