Notícias de Mercado

14/11/18

63% dos lojistas de rua farão Black Friday

São Paulo - Diante da dificuldade de vendas ao longo do ano, o varejista de rua do Rio de Janeiro entrará em peso na Black Friday deste ano. Segundo estudo Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDLRio), 63% dos entrevistados farão promoções no próximo dia 23.

 

Segundo o levantamento, mais de 88% dos lojistas acreditam que a promoção possa incrementar as vendas em até 5%, com oferecimento de descontos entre 30% a 50%. Produtos como eletrodomésticos, eletrônicos/informática, smartphones, moda, calçados e artigos para casa e decoração serão os itens mais procurados.

 

Para o presidente da entidade, Aldo Gonçalves, o resultado das vendas de alguns produtos da promoção no ano passado igualou-se em alguns casos às vendas natalinas e a antecipação da data também é uma forma de atrair clientes em tempos de crise.

 

“Numa época de dificuldade econômica como a que estamos vivenciando atualmente no País, especialmente no Estado do Rio de Janeiro, a Black Friday pode representar uma boa ferramenta de marketing e uma excelente oportunidade para oferecer promoções”, afirmou o presidente.

 

Ainda de acordo com Gonçalves, “devido à proximidade com o Natal, há um certo risco de afetar as vendas de fim de ano, de tal modo que os descontos estimulem os consumidores a anteciparem suas compras das festas natalinas.”

 

Já no que diz respeito ao perfil de compra, uma pesquisa realizada pelo portal online da Black Friday indica que o principal método de pagamento escolhido é o cartão de crédito, preferido por 78% dos pesquisados, 13% costumam utilizar o boleto bancário, 5% o débito e 4% de outros. Além disso, o preço é um dos fatores mais importantes para 90% dos respondentes, seguido por confiança na loja com 59% e custo de frete com 38%. O levantamento feito pelo portal indica que, na edição de 2017 da Black Friday, a maioria dos consumidores compraram com planejamento, mas, 48% dos consumidores afirmam terem sido impulsivos.

 

"A data já consolidada traz mais segurança para o consumidor: ele planeja e estabelece prioridades dentro do seu orçamento, mas não perde uma oportunidade já que está sempre de olho nos preços”, diz o diretor do portal, Ricardo Bove. Seguindo as características dos e-shoppers, dentre dos pesquisados, 53% são mulheres e 47% homens. “O movimento que percebemos é que as pessoas com mais idade (70% com 35 anos ou mais) têm capacidade financeira para realizar compras com tickets mais elevados, característica desta data, já consolidada como a mais importante do comércio eletrônico” diz Bove.

 

Fonte: DCI